segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Não quero disfarces pra ficar me iludindo
Eu engulo a agonia pura e seca
E deixo queimar no fundo do estômago
Deixo doer no fundo da alma
Pois é de minhas dores que me faço mais forte

Eu quero moê-las, pra não deixar mais nada
Buscar o mal la no fundo
Sei que posso tê-las pra sempre
Mas elas nunca me terão

Um comentário:

modesto disse...

andas escrevendo, benzinho...

críticas e elogios só faço pessoalmente...

;)