terça-feira, 19 de maio de 2009

...mas você faz o que mesmo?

Mesmo hoje,depois de um certo tempo que estou cursando engenharia florestal, ainda são comuns expressões de surpresa das pessoas quando falo o que faço. Ok,tudo bem,não é nenhum curso em que você veja muitas pessoas fazendo, ainda mais em grandes centros, como de onde eu sai,Salvador, mas quando falo,parece que faço algo de outro mundo.Tipo,comentários como "Não tinha nada melhor pra você fazer não?"(mesmo levando numa boa e rindo,dava vontade de xingar a pessoa toda),ou "Esse curso é novo ", ai la ia eu explicando que aqui na Bahia era novo sim,mas que em outros estados tem a mais tempo,que o curso ja tem quase 50 anos aqui no Brasil...ou então aquela clássica frase "Ah,legal", mas notando que a pessoa não sabia direito o que era e ficava tentando imaginar o que seria esse raio de profissão. Acho que pensavam que iria ficar direto numa mata, ou seria um daqueles defensores da natureza que abraçam árvores e fazem aquela linda campanha para proteger a natureza.
Talvez se fizesse algo como os tradicionais direito,medicina,administração,ondonto,ou alguma engenharia mais conhecida não visse tantas caras se surpresa e desinformação diante da escolha que fiz ao preencher o formulario do vestibular. Mas sabe de uma? Eu ate que gostava, dava aquela sensação de ser diferente e optar por algo que a maioria das pessoas não faz,se sentindo único, do contra...Lembro no cursinho,quando o professor perguntava sobre as profissões,"Quem vai fazer medicina" ai meio mundo de mãos se levantavam,"Quem vai fazer direito"outra boa parte também levantava, e depois muitas também pros demais cursos de saude, umas menos pro de administração, algumas poucas pras engenharias(das mais conhecidas, não da minha),um ou outro revoltado(sem querer ofender,eu gostava de encontrar pessoas que fossem fazer algum curso mais diferente do que a maioria) que fosse fazer letras,artes,musica e demais cursos que não são campeões de concorrência. Mas eu não tava nem ai, e creio que os outros tambem não, quando falávamos nossa opção, sai um ",massa!", que parecia que nos eramos mentes privilegiadas ou diferenciadas por escolher algo mais "exotico".
Mas outra pergunta era,e ainda é, "O que um engenheiro florestal tem de utilidade na minha vida?".Blz,ja entendi.É muito facil ver a utilidade de um medico,que salva vidas,cuida da saúde(oh,que nobre),profissional que certamente todos nos ja recorremos alguma vez.Ou então um advogado,conhecedor das leis, promotor da justiça(:P)...e assim vai pelas outras profissões,que mesmo a sociedade não tendo contato direto,sabe que tem alguma função pra alguem em algum canto. Jornalismo,nutrição,historia,quimica,engenharia eletrica,matematica...e cade minha utilidade pra sociedade?Onde esta a "nobreza da minha profissão"?Acho que to mais pra pebleu.
Bem,boa parte do que temos de natureza preservado, de meio ambiente ainda resistindo se deve a algum engenheiro florestal que de alguma maneira trabalhou pra isso. A maioria do papel que voce usa,desde escrever algum recado,fazer sua prova,escrever artigos e ate nas horas de aperto no banheiro,se deve a algum engenheiro florestal que lidou com a parte de fabricação de papel.Assim como a madeira de algum móvel,ponte,porta,ou o carvão pra fazer seu churrasco..algum jardim que você achou bonito ao passar na rua,aquelas árvores que voce acha bonito em meio a todo concreto das cidades,e assim vai por todas as coisas que possamos retirar da natureza,dos rios, da terra..tem algum colega meu la envolvido,em algum processo disso tudo
Não falo isso me envaidecendo, mas é so pra saberem que minha profissão tem sua importância na sociedade,muito mais do que imaginam.Mas se pra alguém isso tudo não tem muito valor,então que se dane a droga de sociedade,não presto tanto quanto ela.
Escolhi esse curso,não so por gostar de plantas, de cultiva-las,gostar da área de meio ambiente,ou muito menos pelo mercado de trabalho(que é ate bom por sinal).No fundo,acho que foi minha maneira de compreender o mundo e agir nele.De compreende-lo,estudando a natureza.
Bonito ne,que comovente...,mas todos tem sua beleza, somos todos algum parafuso que aperta algo no mundo, ou desregula tudo.
Mas podem dizer que vou ficar no meio do mato, que vou plantar árvores, defender a natureza,tentar salvar o mundo,conscientizar as pessoas...no fundo todas as profissões tem seu lirismo,seu idealismo,com a minha não é excessão.Faz parte da profissão

4 comentários:

Viviane disse...

E o pior é q é a realidade de quase todos os cursos daqui de cruz tirando (agronomia, biologia), pois até eu msm nao sei para q serve mtas cursoa da facul.Ja passei por esta situação varias vezes. Falta mta informação na sociedade.O q nos resta a fazer é ter paciencia e estudar mto para tentar "mudar" ou melhorar a sociedade.

carla vanessa disse...

e filosofia?
nem digo os comentários...

Igor disse...

Muito bom o post. Ainda mais com o seu resgate histório da época do cursinho.

Mas na boa, prefiro não lembrar de você, digo, da sua contribuição na fabricação do papel, que vou usar na "hora do aperto".
hehehe

Abração!

Isabela disse...

ahhhh... engenheiro florestal é isso, né? confesso que também te imaginava no meio do mato! ahauhauhaahuahuahuhaau! Mas eu tb me sinto como vc, pois faço relações públicas e as pessoas sempre fazem cara de "nada" quando me ouvem dizer que sou RP!