domingo, 19 de julho de 2009

Meios amores

Hoje eu não quero ouvir,suas meias verdades
Os seus meios desejos,suas meias vontades
Meu amor não se preenche com tanto vazio
Suas metades não somam metade de nada
Eu não quero ouvir,suas meias palavras
Meio gosto que não,meio gosto de nada
Meia vida vivida,meio que sem vida
Meia hora passada,minha vida se foi
Nos seus meios de vida,no seu meio amor
Nesses meios prazeres,nessa meia prisão
Inteira de tristeza,minha consumição
Foi viver esses anos,me enchendo de meios
E esquecer que o amor,so se vive inteiro
E que os dois são metades,que pra serem um
So inteiros se doam,so inteiros são um

Uriálisson Matos Queiroz

3 comentários:

Bia Ferreira disse...

Na bem da verdade, só inteiros se f...
lindo texto!

Alan Félix disse...

Existe "meio"???

Meio corpo com água, na verda é meio corpo de água com vento. Então nunca é meio.

Uriálisson disse...

então,na verdade o meio nunca é inteiro,e certas coisas na vida so valem de forem inteiras.Ai quis falar dessa coisa de sempre faltar algo,so coisas pela metade...uma "meia" coisa,que na verdade não é nada