quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

De algum jeito,que siga


Sempre quando ia escrever uma redação ou qualquer texto ficava sem saber como começar,que palavras usar,o jeito,a maneira...mas via que não podia ficar a vida toda ensaiando a melhor maneira de fazer tudo,e simplesmente começa,jogava palavras,e as coisas iam fluindo.E daí ia.Ia rolando,e o texto se desenrolando,com erros,tropeços,mas com o tempo ia me acertando.Vi que pra muito da vida,também não poderia demorar demais pra começar.Temos que dar algum chute,se for pro gol ou pra escanteio,sabe-se lá.
Com as pessoas também acontece isso.Nem sempre começamos da melhor maneira com alguém,podemos demorar pra entender a linguagem do outro."Ler" um ao outro.Mas é isso,as coisas com o tempo vão se ajustando,se descobrindo.Aquilo da "1º impressão e a que fica",nem sempre fica.Ninguém é livro marcado pra eternidade.
Temos aquela de ver alguém e dizer "Pô,gostei daquela pessoa de 1º",e realmente podemos nos identificar com algo ou alguém de cara.Noutras,nem vamos com a cara.As vezes é questão de oportunidade,de momento ou época.Os ponteiros não se acertam de primeira,mas quando sim,podem girar juntos até a eternidade.
Então começando bem ou mal,deixe a pedra rolar.Há de haver caminhos em que destinos se cruzem,acasos de batam...e sem frases-feitas ou ensaios,ser espontâneo é melhor.Nem que seja pra quebrar a cara.

3 comentários:

Lory V. disse...

Po Uri, gostei muito do final de seu texto. As prévias feitas de toda e qualquer situação, não podem ser concretizadas sem ao menos outras vivências. " Nem tudo que começa errado termina errado, certo?". É preciso tempo, contato e disposição para análises mais sucintas...

por Luma Pinto Oliveira disse...

Oi, Uriálisson, me identifiquei demais com o texto, inclusive porque ele combina com a ideia central do meu blog, a de 'ir pisando e fazer o caminho'. Gosto do seu jeito de escrever tb. Abraço!

gabriela marques. disse...

Oi Uri, eu tinha a mesma mania de ficar ensaiando o começo, escrevia, apagava, tentava novamente... e nem tudo na vida é, como você disse, bom de primeira. Adorei o exemplo que você citou das pessoas. É verdade, tens amigas minhas que de primeira vista eu odiei, as achava metidas demais, e quando tive oportunidade de conhecê-las, percebi que estava totalmente enganada.