sábado, 5 de setembro de 2009


Minha palavra não é muda,mas muda

Meu grito não se cala,mas cala

Meu sentimento quando ama,derrama

Em algum peito vazio,e vaza

2 comentários:

Alan Félix disse...

Caralho!!!

Amei esse poema, você se superou com poucas palvras mais uma intensidade viril....


Abraço!!!

Dica disse...

Foi o que mais me agradou desta página. Mais poetico seria impossível.

;*