segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Quero ser além de eu mesmo,um desdobro além do possível
Quero ser conteudo e contorno,daquilo que faço e digo
Uma vontade desgovernada,praquilo que me convem
Quero ser fim,início e o todo,ou algo mais além
Quero a premissa roubada da vida
Quero a verdade,antes de ser instituida
Quero a loucura sem nenhum desespero
Apenas ganhar e perder o que mereço
Quero a liberdade muito além da vontade
Quero que os anos passem,mas não passe minha idade
Quero o desprezo dos justos se a justiça for essa
De negar o que se ama e afagar quem não presta



4 comentários:

Dica disse...

São muitos quereres, alguns pode até alcançar-ser-estar, outros nem que quisesse.

Gostei do todo, do meio, do fim, e principalmente disso aqui:
"Quero a verdade,antes de ser instituida...
Quero que os anos passem,mas não passe minha idade."


beijo!

Alan Félix disse...

bom poema meu caro!!!

Eloisa Faccio disse...

Quero a loucura sem nenhum desespero.

Bonito. Me lembrou Los Hermanos, aquela parte assim: "pra que minha vida siga adiante."

Meu beijo, jardineiro.

railer disse...

queremos muito. temos que fazer por merecer.

gostei do blog!