quinta-feira, 25 de junho de 2009

Sossego

Acordei.Tocava o som na maior altura .Levantei com a cabeça toda azuada,estourando.Não de dor de cabeça,mas meus sentidos pareciam aumentar e distorcer tudo.Queria silencio,ou ao menos um som que me deixasse ouvir minha cabeça.Aquela droga poluía tudo...fui fazer algo pra comer,algo que tinha sobrado do almoço,era esquentar.Ate a comida parecia cheia daquele som,o volume distorcia o sabor dos grãos de arroz.Não falava nada, respondia mecanicamente o que me perguntavam.Alguém fala uma brincadeirinha,dou um sorriso de leve e continuo comendo.
Queria paz,mas não uma paz de campos verdes imensos e céu azul limpo.Queria pegar a moto e acelerar ate o fim,meter numa pista sem nenhum quebra-mola,ou então passar de vez por todos,com a moto quase voando ao sair do chão.E sem capacete,sentir o vento bater na cara é bom demais,ouvir o ronco do motor e ver tudo passando como fosse lhe bater na cara.É perigoso.Andar sem capacete não é legal,mas hoje daria uma carona pro perigo,e quem teria medo não seria eu.
Tocou uma musica que prestasse.Queria agora tocar ela,com meus dedos soltando cada nota,como se escrevesse sem parar.Pegar um baixo e galopar meus dedos nas cordas grossas,ouvindo o som grave saindo sem parar,nota por nota sucessivamente,e sair com as pontas dos dedos esfoladas.Aquilo doí de tocar,meus dedos ainda tem de engrossar mais pra eu me acostumar.
Penso em sair de casa,ou então ficar fazendo qualquer coisa com meus amigos,que não ouvir aquela merda tocando.Mas não qualquer um,contava nos dedos quem merecia me acompanhar nas minhas horas de transtorno.Queria dar um abraço em cada um.Gosto de abraços,acho mais puro e intenso que as vezes dar aqueles dois beijinhos no rosto ou um aperto de mão mal apertado.Acho que por os dois peitos se encontrarem os corações parecem dialogar,trocar calor,ouvir o batimento um do outro.Trocam energia
Minha mente se arrumava melhor agora.Também,depois de uma noite sem dormir nada, ficamos com o fluxo das coisas meio alterado,e o sono de pouco minutos que tive não ajudou muito a me arrumar.A bagunça de minha mente ao acordar era a bagunça da noite anterior ainda,que não tinha sumido,ficou la guardada em algum canto do cérebro e saíra agora pra me avisar que precisava dar um tempo pro meu corpo.Gosto de me colocar em situações de exaustão,fazer meu corpo ser alem do que ele pode,mas com ele mesmo,e minha mente la mantendo o pique.Físico e mental se comunicam,saúde de um também é saúde de outro,infelizmente nos esquecemos disso e preferimos jogar fora os dois.Mas tenho que lembrar que não sou o homem de aço,e me desgasto como qualquer outro,tenho meus limites. os quero cada vez mais alem
Paro um pouco,decido descansar.O corpo teve sua vez hoje,deixo pra viver agora nos sonhos.
A musica não incomoda mais,no fundo era eu que não digeria o ambiente.Tudo agora poderia ir pra qualquer canto,pois estava no melhor lugar.Dentro de min,e dentro do mundo.

Um comentário:

Bia Ferreira disse...

Adoro o jeito como vc escreve... é tão livre, usa palavras corriqueiras de uma forma tão bonita, fica tão natural..